Dieta do Sangue

Dieta do Sangue: entenda como funciona

Hoje falaremos da Dieta do Sangue, pois não se pode negar a influência do tipo sanguíneo nas dietas de emagrecimento. Afinal, seu tipo sanguíneo reflete sua química interna. O sangue determina sua suscetibilidade, as reações adversas do organismo, os alimentos que você deve comer e os que deve evitar por gerarem diversos problemas à saúde.

Ou seja, o tipo sanguíneo é um fator fundamental que influi em nosso nível de energia e na eficiência com que “queimamos” calorias. 

O que é a dieta do sangue?

Pensando nisso, a Dieta do Tipo Sanguíneo foi criada, há mais de 20 anos. De acordo com essa dieta, cada tipo sanguíneo teria o seu cardápio ideal. Funciona para fornecer energia, reduzir o risco de doenças cardiovasculares e até ajudar no emagrecimento saudável. A ciência ainda não tem evidências que comprovem se essas consequências estão diretamente ligadas ao tipo sanguíneo da pessoa que a segue a dieta.

Como surgiu essa dieta? 

Em 1996, o médico norte-americano Peter D'Adamo publicou o livro "Eat Right for your type" - vendido no Brasil como "A Dieta do Seu Tipo Sanguíneo". O autor teoriza que os hábitos alimentares dos nossos antepassados determinaram o tipo sanguíneo de cada um.

Para o autor, o tipo sanguíneo - determinados pelos antígenos A, B e O - influenciaria, além da transfusão de sangue, na maneira como nosso metabolismo processa alguns alimentos e, assim, definindo quais seriam ideais para consumo e quais não.

Cada tipo tem a sua dieta, composta por três grupos de alimentos:

1) Benéficos: ajudam a evitar e curar doenças;

2) Nocivos: podem trazer problemas de saúde ou agravar os que já existem;

3) Neutros.

Tipos sanguíneos e a dieta: 

As dietas dos tipos A, B, AB e O são bem específicas e extensas, mas podem ser resumidas da seguinte forma:

  • Sangue tipo A: recomenda-se uma dieta orgânica, pura, rica em vegetais e frutas; deve evitar proteínas de origem animal, pois a sua produção de suco gástrico é baixa e isso dificulta a digestão desses alimentos.
  • Sangue tipo B: único tipo sanguíneo que tolera bem laticínios em geral; recomenda-se que evite milho, trigo, lentilhas, tomates e amendoins, já que eles supostamente alteram o metabolismo e levam ao ganho de peso, e também o frango, que, de acordo com D'Adamo, aumenta o risco de derrames cerebrais.
  • Sangue tipo AB: como é uma evolução dos tipos A e B, deve ter uma alimentação baseada nas dietas desses dois grupos, bem equilibrada e contendo um pouco de tudo; deve evitar álcool e cafeína e ingerir mais frutos do mar, grãos e laticínios.
  • Sangue tipo O: por ter um aparelho gastrointestinal forte - e ser o tipo mais antigo - são considerados "carnívoros", pois necessitam de proteínas animais diariamente. Consumo de grãos e laticínios deve ser limitado. 

 

Leia mais 

Entre no blog da Academia Brasileira de Terapias e veja mais posts como este. Não deixe de conferir o texto sobre Dieta Ortomolecular.